living in wonderland

everything is never as it seems when i fall asleep

This is real 10/12/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 21:42
So take a chance and don’t ever look back.
(Teenage Dream – Katy Perry)

Primeiro: acho que eu definitivamente esqueci como se posta em um blog!
Segundo: mais uma vez, eu fiquei um bom tempo sem passar por aqui, mas juro solenemente ter motivos para isso. Então, vamos a eles…
1- Fiz uma viagem incrível, com pessoas incríveis  para o México.
2- Li diversos livros nesse longo período de tempo.
3- Passei por algumas crises existenciais junto a Isabela, ambas com medo do vestibular e dessas parafernálias todas.
4- Essa semana, a última, tive avaliações periódicas, o que toma um pouco de tempo.
5- Não lembro de mais coisas, mas se eu lembrar, pode deixar que eu conto!
Bom, eu continuo a mesma Bruna, com os mesmos cachos e com a mesma forma de escrever. Mas obviamente não sou a mesma quando se trata de coisas aprendidas e apreendidas, afinal, estamos em um processo contínuo de evolução e nada mais normal que a mudança.
Quando o ano está próximo ao final, diversas coisas começam a passar pelas nossas cabeças, algumas boas e outras nem tanto. Vemos o que aconteceu ao longo de um ano inteiro e refletimos sobre elas, ou pelo menos eu faço isso.
Parar e imaginar todos os momentos bons e ruins, lembrar de todos os fatos marcantes, pensar em todo o esforço, as horas de estudo e ver que, no final, tudo deu certo!
O sentimento de dever cumprido nos motiva a encarar um novo ano, cheio de coisas que nós desconhecemos. Ao ver que todos os objetivos foram alcançados e todos os obstáculos ultrapassados nós percebemos que, sim, nós podemos conquistar mais um ano.
Enfim, chega de ser revoltada!
Cansei dessa vida.
Mas uma coisa eu digo, todo ano vai ser o melhor e o pior da sua vida. Esse ano foi o melhor e o pior da minha vida. Conquistei diversas coisas, fiz diversas escolhas, encontrei diversas pessoas, por outro lado, tive alguns (não diversos) problemas, mas nem por isso eu vou esquecer o lado “melhor” do ano e transformá-lo no “pior”, o que importa não é a grande onda, mas sim a calmaria que vem depois dela.
xx
Anúncios
 

Oh, please! Say to me 31/10/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 2:00
You’ll let me hold your hand.
(I wanna hold your hand – The Beatles)
Well, well…parece que eu estou perdendo o jeito da coisa.
Vou pular toda aquela parte de estou-sem-tempo-para-postar.
Acontece que fim de ano é fim de ano, não importa se você é criança ou adulto, idoso ou adolescente. Mas se você fizer parte desse último grupo, você com certeza está em uma situação terrível (principalmente se tiver 17 anos).
Vestibulares, provas, preocupações, decisões muito importantes, enfim…sua vida se torna um caos e você se sente extremamente sem rumo, ou melhor,isso acontece só se você se preocupa com seu futuro, claro. Se você não tiver objetivos, provavelmente só vai estar preocupado em pensar na sua viagem de formatura (mesmo sem saber se vai passar de ano…).
De qualquer forma, todos estamos vivendo em uma situação crítica. Mas eu acho que só há evolução em situações críticas que exigem melhora. Aliás, se as girafas não precisassem esticar seus pescoços para pegar os alimentos que estavam mais no alto, elas continuariam sem “evoluir” ou até mesmo poderiam estar extintas, por causa da possível falta de alimento.
Enfim, deixemos as girafas em paz!
Para vocês verem como eu ando ocupada, acho que eu estou a 3 semanas lendo o mesmo livro – O Mar de Monstros, Rick Riordan -, nem me lembro em que parte eu parei. Ultimamente eu só penso em estudar, fazer milhares de exercícios, ler sobre temas atuais pro vestibular e, quando tenho tempo, ver Grey’s Anatomy.
Nota: nem estou no 3° Ano ainda. ¬¬
Ah, e eu esqueci de mencionar que quando eu tenho tempo, aproveito para fazer minhas unhas, isso tira o stress.
Outro dia eu estava pensando, é tão bom ser do sexo feminino (-q). Nós temos várias opções de roupas, sapatos, esmaltes, maquiagem…e eles tem algumas coisas,mas nada extremamente legal.
Amanhã é Halloween, Dia das Bruxas, Lúcifer entre nós, gatos pretos, abóboras,…superstições!
Não vou dizer que não acredito em algumas delas, mas coitados dos gatos, são tão lindos! E as abóboras? Mas quando acreditamos em algo,independente do que seja, passa a ser real dentro de nós.
Quando pequenos esperamos o Papai Noel, até dizerem que ele não exite. Mas o que não existe para você pode existir para mim. Cada pessoa é diferente da outra e isso também quer dizer que nem tudo é regra.
Não é porque eu acho funk ruim que ele se torna ruim.  (Afinal, já é ruim por natureza. :P) Mas isso não impede que várias pessoas ouçam e achem o máximo. Da mesma forma que eu escuto Chico Buarque e acho incrível, enquanto outros “brasileiros” sequer se atentam à qualidade que suas músicas têm.
Meus avós sempre falam que um dia eu vou parar de falar português, porque 85% das músicas que eu escuto não são brasileiras. Os 15% das músicas brasileiras que eu escuto são de pelo menos 10 anos atrás, nada do memento.
Sertanejo? Moda.
Funk?Uma ofensa social.
Pagode?Não tenho paciência nem para ter relacionamentos, quanto mais para escutar músicas sobre eles.
Axé?Ficar pulando faz minhas pernas doerem.
Ou seja, nada disso me agrada totalmente (o que não significa que é ruim).
Existem algumas músicas que são realmente muito boas, como o samba! Meus pais gostam de praticamente todos os estilos musicais, então eu estou exposta ao que eu julgo bom e ao que eu julgo ruim.
Temos também Legião Urbana, Capital Inicial, Cazuza, Kid Abelha, Cássia Eller, e tantos outros que fizeram parte da história da música ou que ainda fazem.
Enfim, cultura!
Pra terminar: “Sendo o fim doce, que importa que o começo amargo fosse? Bem está o que acaba.” (Hamlet)
Nada como coisas clássicas!
xx
 

The hardest thing about growing up 12/10/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 3:07

is that you have to do what is right for you even it means breaking someone’s heart, including your own.

Boa noite! Como vocês estão? Com saudades? Espero que sim, ou melhor, é o que parece.

Eu estou bem, e egocentrismo a parte, eu passei exatos 15 dias sem ao menos ver as visitas do blog. Não sei porque aconteceu isso, eu sempre fui muito apegada a esse blog, mas hoje eu resolvi entrar na minha conta e fiquei em estado de choque! Eu nunca havia recebido tantas visitas antes, por isso, obrigada a todos vocês, pois foi ver isso que me fez ter vontade de postar.

Enfim, eu tenho uma teoria, acredito que quando você cria um blog passa por momentos de extrema alegria, quer postar a todos os momentos, só pensa no blog e em coisas relacionadas a ele. Um mês depois você percebe que está passando grande parte do seu dia nele e as outras atividades estão ficando de lado. Mais alguns mêses se passam e você fica 15 dias sem postar, o que não significa que você não pensa nele. :P

Eu penso bastante no meu blog, parece que tudo que eu faço poderia gerar algo que deixasse ele mais atrativo e legal, ou seja, menos pessoal.

Creio que outra coisa que diminuiu meu interesse foi uma certa mudança, uma decisão minha que mudou muita coisa de uns dias pra cá. Sabe o que? Finalmente deixei o Jornalismo de lado e me prendi totalmente a Medicina. Mas porque isso mudaria meu relacionamento com o blog?

Simples, quando você coloca uma idéia na cabeça, você passa a agir de forma que convenha com a sua idéia. Por qual motivo uma aspirante a médica teria um blog? É mais sensato uma aspirante a jornalista ter um blog. Mas acontece que eu gosto de escrever, eu amo escrever.

De qualquer forma, não faz parte dos meus planos (que são muitos) abandonar esse refúgio.

Mas, como vocês perceberam ao ler o tema, crescer é algo extremamente complicado.  Precisamos tomar decisões e temos que levar em conta várias coisas e pessoas. E acima de tudo, temos que agir corretamente, não podemos nos dar ao luxo de errar…o tempo não vai voltar para você poder consertá-los.

Ontem eu estava conversando com a minha mãe e eu disse: “Eu posso estar onde for, fazendo o que for, mas minha cabeça está a mil…penso daqui a 5, 10 anos, tenho vários caminhos traçados. Se eu for pelo caminho A, irei fazer isso e aquilo, se eu for pelo B, também tenho várias alternativas a serem seguidas. E mesmo tentando ter tanto controle sob o meu futuro, eu só fico mais exausta de tudo isso.”

A resposta da minha querida mãe foi simples, apenas três palavras: “Isso significa responsabilidade.”

Nota: eu tenho 16 anos.

Vejo tantos adolescente por aí, só curtindo a vida, sem se preocupar com absolutamente nada, como dizem: deixando a vida levar.

Não consigo apenas deixar que os meus caminhos se determinem aos poucos, isso gera insegurança. Preciso ter uma base, e vocês sabem que eu sempre falo isso. Temos que ir fazendo nossos caminhos e não pensar que eles se formarão sozinhos.

Bom, eles podem até se formar, mas provavelmente não serão da forma que você quer.

As vezes eu queria saber não me preocupar com esse tipo de coisa, sou filha única, neta única…não posso desapontar ninguém, tenho que fazer tudo certo.

Mas não pensem que isso é ruim, é algo que faz com que a gente não saia da linha. Faz com que a gente pense além do momento, corta os impulsos, isso cria uma pessoa forte e decidida.

Gosto de pensar assim. É motivante.

Era isso que eu tinha pra falar, continuem visitando e comentando no blog. :)

E mais uma vez, obrigada!

xx

 

There’s nothing you can do 27/09/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 23:29

Now you’re in New York.
(Empire State of Mind – Jay-Z)

E depois de exatos 12 dias, eu estou aqui.

Muitas coisas aconteceram e estão acontecendo. Depois daquele post super estranho eu “acordei” e vi que o que eu estava falando ultimamente não fazia sentido algum e que era melhor eu deixar meu blog descansar. Nem sempre nós -blogueiros- temos coisas boas para escrever, como dizia Clarice Lispector, eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém (provavelmente a minha) mas quando eu penso nisso vejo que são duas coisas que eu amo fazer: escrever e ajudar as pessoas.

E talvez seja por isso que eu gosto tanto disso aqui.

Então vamos a uma pequena lista dos recentes acontecimentos:

– terminei de ler Swoon. (não sei se que já falei isso, mas enfim…)

– comecei a ler A Última Música e já estou terminando, hoje a tarde eu chorei muito lendo, mas é ótimo.

– Glee voltou! ( o/)

– eu ganhei a segunda temporada de Gossip Girl. (*-*)

– e estou na semana de provas. (=/)

E de todas essas coisas, a última é a mais engraçada, eu sempre posto bastante na semana de provas. Acho que é uma forma de tirar o estresse, kkk.

Aliás, eu comecei a baixar Grey’s Anatomy, a Isa disse que é bom…vamos ver o que acontecerá no meu futuro (que não está tão distante).

Toda vez que eu entro ou passo por um hospital e vejo várias pessoas eu penso: quero poder ajudá-las. Sei que vai ser uma longa jornada, ou melhor, não vai ser…já está sendo. Na verdade acho que começou desde o ano passado, com muito estudo e dedicação.

Espero que no final tudo valha a pena e eu sei que vai.

Nós sempre temos que ter pensamento positivo, acreditar na nossa  capacidade. Se você estuda e se esforça, não tem porq não conseguir um bom futuro.

Enfim, vou terminar A Última Música porq sábado eu sou em uma super livraria. :P Só espero que minha mãe não leia isso ou ela corta minha  verba.

Não pensem que eu esqueci o blog, vocês não vão se livrar de mim tão facilmente.

xx

 

Maybe I need some rehab 15/09/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 23:55
Or maybe just need some sleep
I got a sick obsession
I’m seeing it in my dreams.

(Your love is my drug – Ke$ha)

Mais um dia. Só isso.
E nesse post, mais do que nunca, a música expressa uma necessidade minha. Reabilitação. kkk
E eu preciso disso por vários motivos, como por exemplo: eu sou viciada em livros, cachorros, gatos, música e o pior, nas pessoas.
Sim, eu sou viciada nas pessoas. E eu tenho um hábito terrível, eu gosto de observar a todos. Isso é estranho, as vezes eu me pego olhando para alguém e isso acaba ficando estranho, se é um garoto, já pensa o que não deve. Mas na verdade eu penso, por que aquela pessoa está usando aquela roupa? Nossa, que sapatos bonitos. *-*
Enfim, as vezes é bom observar as coisas…é o que acontece quando eu vou a praia.
Eu não gosto do calor, mas amo o mar.
É uma coisa tão linda, tão azul.
O mar me faz pensar, por isso eu gosto de ir para a praia no Ano Novo. Para começar um novo ano eu preciso de novas idéias, novos planos, e lá eu consigo pensar.
Eu ia fazer uma resenha super fofa de “Cabeça de Vento”, mas eu acabei me empolgando e esqueci dele. De qualquer forma, fica pra próxima. haha
Hoje o dia foi diferente, digamos assim. Estou com algumas dúvidas que não saem da minha cabeça, ¬¬ mas sei que é questão de tempo pra passar.
Eu e a Isa comemos jabuticaba da escola e estava tão bom. *-*
E teve o debate.
E o meu bom desempenho nos simulados.
Mas eu acabei de ler uma frase que resume meu dia de hoje: when you’re not around, I can’t breathe.
Só digo uma coisa: kopma.
Durmam com essa!
xx
Ps.: Sobre a foto, eu costumo fazer isso… :D
 

out of our lives 13/09/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 23:56

out of time
wishing i could be with you.

(Point of View – McFLY)

Mesmo ficando uma eternidade sem postar, eu me lembro desse blog a cada instante, e me pergunto: por que não postar agora?

Acontece que, como adolescente, eu sou mais ocupada do que deveria e até mesmo do que aguento.

Mas o que eu posso fazer? Algumas coisas a gente só consegue com esforço e merecimento. Eu sonho, até demais, mas sei que eu posso realizá-los e é isso que me faz levantar a cabeça e seguir em frente.

Tudo é difícil.

Viver não é nada fácil.

Mas eu acredito que se tudo fosse fácil, não teria porque lutar. Pra que eu vou estudar se minha vaga em uma boa universidade já está garantida?

Enfim, não é meu objetivo mudar a opinião de ninguém senão a minha. Não quero influenciar ninguém senão a mim mesma.

A cada dia que passa eu fico mais preocupada, eu vejo pelas ruas pessoas deploráveis. Mas sabe o que é o pior? Pessoas em boas condições se deixando levar por uma “cultura” filha da puta e se achando alguém. Se todas essas pessoas algum dia me provarem o contrário, irei assumir que errei em julgar, mas até então eu tenho todo o direito do mundo de falar o que eu penso, afinal, é isso que chamamos de liberdade de expressão, não é mesmo?

Escola é algo terrível.Teoricamente, deveria ser um lugar onde as pessoas vão para adquirir conhecimento, não para perder o pouco que tem.

Eu nem sei porq estou escrevendo isso, mas é algo que todo mundo precisa ter consciência.

Tem muita gente perdendo quem realmente é para ficar como todos são, isso é o que eu mais vejo quando coloco o pé na rua, seja na escola, nos shoppings ou onde quer que seja. Será que tudo está tão banalizado a ponto de cada um estar disposto a acabar com a própria imagem pra parecer mais “na moda”?

Pelo amor de Deus!

Por isso eu amo minha cachorra e meus livros.

As pessoas estão cada vez mais corrompidas.

Como diria Felipe Neto: “A vida é boa, mas a vida é foda!”

Por isso, busquem adquirir conhecimento. Busquem por viver de uma forma menos ridícula. Façam proveito da vida que vocês têm.

A vida é única, o que você fez de errado nunca será concertado, por isso, evite errar.

Mais uma vez, um post pra ser escrito, não necessariamente pra ser lido.

:)

Ps.: eu tenho o péssimo hábito de ser sincera e realista.

 

Everyone asks me, 07/09/2010

Filed under: Uncategorized — heeybru @ 22:51

Who the hell is she?
That weirdo with five colours in her hair.

(Five colours in her hair – McFLY)

7 de Setembro. Dia da Independência do Brasil.

Mas não é sobre isso que eu estou com vontade de escrever. Primeiro porq eu não sou a pessoa mais certa para expressar o grande sentimento de nacionalismo e, segundo, porq hoje é o último dia de feriado.

Sobre o último post, eu escrevi pensando em uma pessoa, mas depois de ler e re-ler o que eu havia escrito eu pensei:  isso serve pra todo mundo.

Fim de feriado se resume a uma palavra: cansaço. Geralmente nós fazemos várias coisas legais, vamos a vários lugares, viajamos, enfim, nos divertimos.

Eu não fui viajar, mas mesmo assim me diverti bastante. Domingo no hospital, tem coisa melhor? haha Meu braço – ou minha veia, você escolhe – já está voltando ao normal e eu estou bem. Todas as vezes que eu entro em um hospital eu penso: quero ser médica! Mas todas as vezes que eu olho para uma revista penso: quero ser jornalista!

Creio que essa seja uma das dúvidas mais cruéis que alguém pode ter. É difícil escolher uma carreira, algo que você vai fazer para o resto da vida. Confucio diria que se você escolher o que gosta, nunca precisará trabalhar e isso soa tão bem. Só que dentre tantas opções e alternativas, é preciso ter cuidado e não se iludir pensando que é capaz de fazer tudo e na verdade não ser.

Eu adoraria ser médica, ajudar as pessoas e todas essas coisas, mas eu não suporto cheiro de sangue e muito menos ver alguém passando mal. Uma vez eu presenciei um acidente entre um motoqueiro e um caro, o cara da moto praticamente voou pra cima do carro e no final, deveria estar melhor do que eu. Por isso eu digo, mesmo querendo ser médica, sei que não é pra mim. Por isso eu quero ser jornalista, nada de sangue, nada de gente passando mal…

Mas voltando ao feriado, ontem foi um dia muito bom. Minha avó-super-duper-cute me deu um livro lindo, A Última Música, do Nicholas Sparks. Sábado eu assisti o filme e é super lindo e emocionante.

Aliás, não assisti só ele, meu pai me fez ver Troia, Posseidon e As Férias da Minha Vida. Eu adoro Posseidon *-* acho super bem feito e a idéia é ótima. Sobre As Férias da Minha Vida, é o filme mais rodado pelo meu a DVD, sem sombra de dúvidas. Acho que eu sou a que menos gosta dele, mas é porq eu já assisti diversas vezes, mais que Harry Potter, mais que … sei lá, mais que qualquer outro.

Eu estou lendo Swoon, da Nina Malkin. No começo eu fiquei com um pouquinho de medo, achei que seria bem mais assustador do que é. Em todas as resenhas que eu li, dizia que o “espírito” (não sei como chamá-lo) era alguém extremamente cruel e vingativo. Até agora ele tem sido bem normal, comparado ao que deveria ser. Mas de qualquer forma, ainda espero algo que me deixe com pelo menos um pouco de medo. =P

Agora eu estou com uma fila de livros para ler, depois de Swoon, acho que vou ler A Última Música e depois Fallen…mas eu ainda tenho que ler o 11 de Gossip Girl e O Vampiro Lestat (confere, senhorita Leal?). Também quero ler Nárnia e muitos outros.

Não sei onde eu vou arrumar tempo, mas de qualquer forma, ficar sem ler é que eu não vou.

Ah! Esqueci de colocar Feios na minha lista. o.o

Ler é tão bom.

Mas está na hora de ir jantar, vou poupar vocês de mais um sermão sobre como é bom ler!

xx

Ps.: Sério que amanhã eu vou ter que acordar as 6 ? ¬¬

PPs.: Menores de 16 anos, não leiam Swoon! =P

PPPs.: Post extremamente pessoal. :)

PPPPs.: Tchau! o/